Saturday, April 29, 2006

Um, dois, três...respirar fundo e tentar fazer de novo....

A professora que me perdoe, mas não sairá igual ao que fiz antes...

Os pontos principais da apresentação realizada pela equipe da qual eu fiz parte juntamente com: Juliana, Mirian, Renata, Rosileide e Verônica; cujo texto tratava sobre Planejamento de Ensino foram:

A importância de se realizar um planejamento, pois o ato de ensinar não se baseia no improviso.
Tratamos também da questão de que o planejamento de ensino e aprendizagem deve ser realizado coletivamente.
Outro aspecto levantado pela equipe é a questão de que todo professor deve construir seu póprio planejamento, e não se apropriar de um que já esteja pronto, pois ele deve ter como premissa os objetivos a serem alcançados com seus alunos. Deve também considerar que não deve estabelecer objetivos baseados em alunos idealizados, uma vez que a realidade da maioria dos estudantes da rede pública é totalmente diferente de um aluno que possua recursos pra estudar, alimentar-se, e ser acompanhado pela família nos estudos. Então, "o Planejamento do Ensino deve considerar os valores, os saberes e as experiências práticas que eles possuem, selecionando e organizando os conteúdos do ensino coerentemente com essas condições".
Explanamos a importância de o professor conhecer um pouco das experiências de vida destes estudantes, dos conteúdos já vistos por eles em sala, de suas dificuldades. Para estabelecer os conteúdos adequados pra se trabalhar em sala.
Bem, também tratamos sobre Projetos Escolares e sua utilização em algumas escolas como: meio de levar os alunos até ela, como base para todas as atividades de ensino e de aprendizagem planejadas pelos professores para serem desenvolvidas em sala de aula. Resultaria em um trabalho interdisciplinar. E isto faria do Projeto algo criado coletivamente como no caso do Planejamento. Ainda falando sobre Projetos Escolares, tiramos dúvidas de um de nossos colegas, Vinícius, a cerca do que viria a ser esta atividade.
Explicamos que o Projeto é um processo a longo prazo, uma vez que o mesmo pode ser modificado de acordo com as mudanças ocorridas no ambiente escolar, com seus alunos e com a comunidade. É preciso observar as mudanças que vão ocorrendo, acompanhar o desencadeamento das ações, perceber seus resultados e, quando necessário, modificar os rumos do projeto.
Deve ser incentivado as críticas por parte dos alunos, uma autocrítica pelos professores que estão acompanhando o desencaminhar do Projeto. Foi suscitado se a comunidade pode interferir através de críticas? Sim, a comunidade deve avaliar o Projeto, pois muito contribuirá para o desenvolvimento da mesma.
Como nõa deixaria de ser entrou em questão durante a apresentação o "apego" do professor ao livro didático no momento de lecionar. Consideramos que muitos utilizam-se do índice do livro pra preparar o seu "Planejamento de Ensino".
Falamos sobre que pra se ensinar não precisa ser entre quatro paredes, podemos fazer aulas tão agradáveis aos olhos do alunos pra prender assim sua atenção. Diversificar as ações, procurar levar o novo aos ouvidos curiosos deles, sair do lugar comum.

Apresentação realizada pela equipe três constituída por: Ive, Joana, Joselice, Maria Teresa, Marinalva e Vinicius.
Pense em uma apresentação que provocou muitas risadas. Vinicius quis mostrar aos futuros professores que há diferentes maneiras de se dar aula, devido a suas danças e gesticulações que só comprovam sua irreverência.
O texto desta equipe foi sobre: O ensino e as condições iniciais dos alunos.
Pontos importantes na apresentação desta equipe foram:

O que viriam a ser conhecimentos prévios, e desta forma dismistificando a idéia de que seriam conteúdos que os professores da série anterior ensinou e que os alunos deveriam ter aprendido, e que por sua vez o professor da atual série terá que revisar.
Com o conceito devidamente explicado, eles falaram sobre a necessidade de definir quais viriam a ser os conhecimentos prévios de seus alunos, a fim de criar o Planejamento de Ensino que fosse mais conviniente. Uma vez que eles se depariam com alunos com deficiência
em determinados assuntos e até com alunos que nem deveriam estar presentes naquela ou em outra série. Quando se sabe o que o aluno conhece, passamos a ter um melhor noção de como devemos ajustar as propostas de ensino às condições iniciais.
As colegas Marinalva e Ive deram exemplos de como se realizar avaliações mediadora.


A última equipe a se apresentar foi a de Lisiane e Lorena, que tiveram como base a entrevista do professor Luckesi.
Muito interessante os pontos que ele tratou com o pessoal da Revista Nova Escola. Aqui vão eles:

Luckesi falou da questão de que nosso método avaliativo ser tão tradicional que remete as práticas realizados por professores de alguns tantos anos atrás.
Que o vestibular acaba receitando ao professor quais serão os conteúdos programáticos que eles deverão utilizar, dispensando qualquer Plano de aula. Uma vez que é a partir do Ensino Fundamental que as Escolas começam a se comprometer com o vestibular. Com toda está preocupação com os processos seletivos, talvez as Instituições devam se preocupar com práticas pedagógicas construtivistas, para que não pareça que os alunos estão sendo treinados a responder a perguntas de maneira estereotipada. Baseado-se com o que se cobra no vestibular.
Afirmou que as avaliações reprovam, excluem, selecionam e classificam os estudantes por meios de um critério de notas e pontos. Diagnosticando se o aluno deve ou não ser aprovado. O que convêm dizer que ela não averigua os conhecimentos do estudante.
Um aspecto também interessante dentre os que foi apresentado pelas meninas, foi que Luckesi se perguntava se alguns professores realizavam um mecanismo de punição com seus alunos, assim como os professores deles fizeram, quando os castigavam tirando ponto por mau comportamento. Isto viria a ser um tratamento psicológico?




Buá!Snif!

Que desespero da gota!Após ter postado tudo o que havia feito sobre os pontos principais da apresentação, perdi tudo devido a um problema que sucedeu no site....
De vota à estaca zero...

Planejamento!!!!

Bem, de acordo com o que havia comentado com vc, Adriane, tentarei realizar aulas sobre os sistemas do corpo humano, com uma possível visita à Escola de Medicina Veterinária e se tudo realmente sair como o previsto farei atividades a fim de saber o que foi notado na visitação. Pretendo também passar uns vídeos com temas bastante variados e lógico que buscarei trabalhar o conteúdo do vídeo.
Só há um probleminha, os horários da 7a A, turma em que realizo as observações, são:
terça - 2.40 às 3.30
quarta - 3.50 às 4.40
quinta - 4.40 às 5.30

E às quartas, tenho aula das 12 às 15 na Escola De Medicina Veterinária. Mas também, há uma questão, o assunto de sistemas deverão começar após ser dado o assunto: Órgãos dos Sentidos que será finalizada semana que vem...
Será que posso me adiantar e já dar as minhas aulinhas?Aguardo respostas,ok?
Fui....

Thursday, April 27, 2006

Síntese da apresentação de minha equipe

O texto introdutório trata sobre Planejamento de Ensino e Projeto de Escola. Mas, afinal de contas, pra que existe a necessidade se planejar? Para responder a esta pergunta precisamos primeiramente saber o que quer dizer "planejar". Planejar é prever e organizar as ações com determinadas finalidades, par se conseguir atingir mudanças.
Então, o texto começa tratando sobre o por quê de se planejar para ensinar. Logo de início, o motivo deve-se ao fato de que o ato de ensinar é algo que não deve ser improvisado, devido a sua grande importância no processo de aprendizagem do aluno. E para que este planejamento alcance resultados, que sejam condizentes com o que foi estipulado como objetivos, o professor deve conhecer os alunos pra quem ensinará, afim de saber articular o que irá ensinar e como irá ensinar.
É de extrema necessidade que o professor conheça seus alunos pra que não os confunda com alunos idealizados. Os alunos de nossas escolas públicas, possuem outra realidade, então, o planejamento de ensino vem pra suprir da melhor maneira possível todas as suas carências. Por exemplo, um grupo de professores cria um planejamento(é importante frisar que o planejamento de ensino deve ser algo coletivo), pode ocorrer de algum aluno possuir dificuldade em determinado assunto e naquela aula o professor não ter terminado de dar o conteúdo estabelecido para aquela aula e assim, atrasar o seu cronograma. Todos que lecionam sabem que há a possibilidade de que se tenha a necessidade de um replanejamento, uma vez que nunca sabemos o que nos espera ao adentrarmos a sala de aula.
Em relação, aos Projetos, cada escola deve estabelecer seus objetivos, levando em consideração as necessidades de seus alunos, particularmente as necessidades educativas.
Um Projeto de Escola tem como uma de suas funções principais, selecionar e organizar os conteúdos necessários para dar conta dos objetivos educativos.
Assim, como no planejamento de ensino, o Projeto pode sofrer alterações. Pois a depender dos desencadeamento de suas ações, o seu rumo pode ser modificado no que diz respeito a: mudanças processadas no ambiente escolar, na comunidade e até mesmo nos alunos na sala de aula.
É essencial que o Projeto seja avaliado pelos educadores, pela comunidade, mas também é imprescindível a crítica vinda por parte dos alunos e de seus pais, uma vez que isto contribui para o desenvolvimento do projeto.

Aula do dia 25/04

Nesta aula houve a apresentação de três equipes a cerca do que foi compreendido ao terem lido aos textos no site www.educarede.org.br, sobre: Planejamento de Ensino e Projeto de Escola.
Ficou estipulado pela professora que os alunos fizessem uma síntese sobre os pontos mais importantes nas apresentações.

Wednesday, April 19, 2006

Dados sobre a Instituição Nogueira Passos

Dados da Instituição:

Nome da Escola:Escola Estadual Professor Nogueira Passos.
Endereço:Rua das Rosas, s/n.Pituba. Telefone:3358-5919
CEP:41820-300.
Salvador-Bahia.
Home: não há.
Séries: de 1a à 8a série.
Procedência dos alunos: De acordo com a coordenação da Instituição, a maioria dos alunos são advindos da Rede Estadual de Ensino e uma minoria vêm da Rede Particular, devido a problemas financeiros de seus pais.

Atos legais de criação e autorização:

Código: 74721. Portaria:288.
Diário Oficial: 23-24/01/94.
Níveis e modalidades de Ensino que oferece: Ensino Fundamental da 1a à 8a série e Projetos(que são o ponto forte desta Instituição), Educação jovens e Adultos: EJA I à EJA V.
Diretora: Lícia Martins Fernandes.
Vice diretor: José Pinto Maranhão Júnior.
Coordenadoras: Maria Angélica Reis dos S antos.
Mabel.

Histórico Escolar:

Foi construída e inaugurada no dia 19 de abril de 1993, para suprir as necessidades da comunidade do bairro e adjacências e atender a demanda de Ensino Fundamental. O governo do Estado que tinha como secretária de Educação a professora Dirlene Mendonça,que foi a responsável pela construção da Escola que recebeu o nome de Escola Professor Alfredo Nogueira Passos.

O professor Alfredo Nogueira Passos,foi professor de Matemática,Estatística, diretor do ICEIA, membro do Conselho de Educação. Mesmo tendo se formado em Engenharia e sendo um dos pioneiros membro do CREA(Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia) se dedicou quase integralmente à Educação.

O nome da Escola recebeu podemos considerar uma grande homenagem da professora Dirlene Mendonça ao seu padrinho de formatura.

Para que existe esta Escola?

A Escola Estadual Porfessor Nogueira Passos, tem como missão garantir aos alunos conhecimentos, atitudes e habilidades proporcionando condições para o exercício da cidadania plena com respeito ao próximo e dignidade para a construção de uma sociedade mais justa e participativa.

Valores da Escola:

Participação- Trabalhamos em equipe e cada pessoa contribui no limite de sua participação nas atividades escolares.

Criatividades-Buscamos e incentivamos formas apropriadas para a solução de problemas.

Respeito-Respeitamos a dignidade e os direitos de cada pessoa dentro da escola.

O que queremos que esta Escola seja no futuro?

Visão: Pretendemos nos tornar uma Escola de referência no Ensino Público Estadual, na qualidade e no serviço que proporcionarmos aos nossos clientes um ambiente participativo com muita criatividade e respeito ao próximo.

Estou observando a sétima série turma A, que tem como responsável a professora Cirlene Maria Vilas Boas Cunha.

Dados da docente:

Cilene Maria Vilas Boas Cunha.

Telefone: 3359-2789.

Celular:99026260.

E-mail: cirlenemvb@hotmail.com.

Formação Acadêmica: Licenciatura em Biologia pela Universidade Federal da Bahia.

Séries em que leciona: 7a série turma A, 8a série turmas A, B e C.
Turno Vespertino.
20 horas por semana.
Livros didáticos utilizados: Na sua única turma de sétima série ela utiliza o livro de Carlos Barros e Wilson Roberto Paulino: Ciências- O corpo humano da Editora Ática.
Com relação às oitavas, só a turma C, possui livro didático as demais trabalham sem os mesmos porque não os receberam ainda!Então, o livro utilizado pra esta série é o de Cecília Vale: Coleção Ciências- Tecnologia e Sociedade da Editora Positivo.

Cirlene é uma professora dedicada a seus alunos e querida por todos!
É dotada de uma metodologia própria que só assistindo a suas aulas, pra conhecê-las, mas posso aqui adiantar que ela se utiliza dos mais diversos meios para que os alunos tenham o prazer de ir a escola. Mas devido a algumas dificuldades encontradas no setor de ensino público, fica difícil a ela fazer tudo o que gostaria de fazer com seus alunos, como: proporcioná-lhes passeios a museus, parques florestais e ao Projeto Tamar(um dos seus grandes desejos de passeios escolares) .
Mesmo diante da falta de recursos das escolas públicas, Cirlene realiza uma oficina de talentos, que consiste em fazer oficinas de música(onde eles aprendem a manusear instrumentos como o violão), de esportes, de artes(reciclagem), de letras(onde se trabalha com a leitura), de culinária, de números, de teatro...
Proposta: Usar os sábados letivos que, pelo fato de terem ua frequência muito baixa de alunos, termina sendo um "faz de conta", para treinar os alnunos interessados nas habilidades pelas quais tenham jeito e interesse.
Objetivos: Trazer os alunos mais pra dentro da escola.
Despertar interesse nos alunos para alguma habilidade que possa lhe ser útil e treiná-lo nesta atividade como se "plantando uma sementinha que, cuidada, poderá desenvolver-se"(palavras da professora Cirlene).
Trabalhar a disciplina e o empenho no desenvolvimento de determinada atividade para que possa estendê-la às outras áreas de sua vida.
É comum se ver na Escola às quartas, principalmente, uns 20 minutos antes do começo das aulas, o grupo de alunos da oficina de leitura, juntar-se com a professora Cirlene e realizar a leitura e a interpretação do conteúdo que ele leu em algum livro, ou até mesmo de algum texto que a própria professora indicou, podendo ser um conto, uma crônica, uma poesia.
Estas oficinas são realizadas aos sábados das 9 às 11 da manhã, com o objetivo de fazer com o que os sábados letivos sejam realmente produtivos, conta com a ajuda de amigos da Escola e de professores voluntários para a realização das atividades. Cada professor, a depender das suas habilidades, ficaria encarregado de conduzir as aulas para o grupo de alunos, previamente selecionados, para descobrir do que eles gostam de fazer e para o que têm mais habilidades. Alguns são bons em desenho e pintura, outros em escrever, outros gostam de cozinhar, ou são melhores em algum esporte, ou em música.
Analisando-se a questão, além do sábado letivo, que talvez seja pouco para o desenvolvimento do projeto, a Escola poderia dedicar mais um dia letivo por mês, até o final do ano, para trabalhá-lo.
Através da verba do PDE, Cirlene( a idealizadora e coordenadora das oficinas) conseguiu material de artesanato, violões, um professor de violão amigo da Escola e ainda, com o apoio da diretora da Escola, a professora Lícia Fernandes, pôde dar andamento às oficinas.




Ausência na aula do dia 18/04

Na aula do dia 18, estive ausente devido uma torção do pé esquerdo!Encontro-me munida de atestado médico de no mínimo oito dias(lógico que não vou aguentar e tirarei antes!) e conto com a colaboração de meus colegas que estiveram presentes, pra que me dêem as devidas informações sobre a aula!
Obrigada desde já!

Saturday, April 08, 2006

Mais visitinhas!

E lá vai Arethinha em mais uma visitinha de observação à Escola Professor Nogueira Passos.
Ao lado da professora Cirlene, me dirigi a sala da 7a A. Um grande alvoroço foi criado na porta da sala, com os alunos me questionando e a ela também se eu seria a nova "pró" deles. Escutava-se muito que eles gostavam da Cirlene e que gostaria que ela ficasse, mas que a nova "pró" seria bem-vinda! Muito fofos!
Bem, respondendo ao que a professora havia perguntado em relação a disposição das cadeiras, eles sentam de acordo com a ordem de chamada, tanto que tem um pequenininho que diz que isto não o favorece, porque ele é míope, baixinho e não enxerga bem do fundo(risos) Cirlene disse que ele estava livre pra se sentar à frente diante destas circunstâncias.
O burburinho(em um tom bem baixinho pra não atrapalhar a aula) a respeito da minha possível entrada como professora não parou, gerando questionamentos do tipo: Onde ela estuda? Se não vai ser nossa "pró" o que tá fazendo aqui?
Alguns vieram até mim, sentaram-se a meu lado e perguntaram do que se trata a minha visita, outros já desconfiavam que era uma visita de campo, uma vez que já tinha ocorrido fato semelhante na escola antes.
Bem, a Cirlene passou uma atividade das págs. 75 a 79 e 81 e 82(para estudar). A fim de eles respondam às seguintes perguntas:

1- De quantos ossos é formada a coluna vertebral?Com se chamam?
2- O que é hérnia de disco e qual a sua causa?
3- Quais são as regiões em que se divide a coluna e quantos ossos cada uma possui?
4- O que causar desvio da coluna?
5- Quais são os tipos de desvios da coluna e como eles são?
6- Quantas são as costelas?Como elas se prendem?
7- Que órgãos se localizam na cavidade torácica?
8- Quais são os tipos de músculos?Descreva cada tipo.
9- Cite 5 músculos do nosso corpo e diga onde se localizam.
10- Que são músculos antagônicos?

Bem quietos, alguns estão a copiar e a responder o questionário.
O máximo de barulho que houve em sala foi o do arrastar das cadeiras.
Alguns alunos se reúnem para resolver a tarefa, já outros copiam as respostas que os colegas encontraram. Nada muito diferente do meu tempo. Mas uma boa parcela trabalha em grupo, procurando as respostas no livro.
Como não haveria de ser, existem os que fingem estudar, com o livro aberto e uma conversinha paralela. Uma vez ou outra dá uma olhadinha no livro pra despistar.
Certos alunos entregaram uma atividade feita com massa de modelar representando as organelas citoplasmáticas. Ficaram interessantes, alguns representaram em tamanho micro!rs!
Ao término do questionário, eles estavam entregando pra professora dar o visto.

Na aula seguinte, Cirlene realizou a correção das questões.

Na aula seguinte, Cirlene realizou a correção desta atividade.

Segunda visita ao Nogueira Passos

Nesta segunda visita eu fui destinada a escolher qual a série e turma em que eu iria fazer as minhas observações. Mas antes de escolher eu achei melhor conhecer as turmas(em que a professora Cirlene leciona) pra depois ter uma noção de qual seria a melhor pra eu desenvolver minha atividade. Então, fui conhecer a oitava A. Eles eram mais novos em relação aos alunos das outras oitavas séries.
Comecei minha observação às 14:50. Nas duas primeiras Unidades são dados assuntos de Química e as duas Unidades restantes são destinadas à Física.
Naquele dia era aula de Tabela Periódica, que tinha como recurso um retropojetor. Como elees ainda não haviam recebido o livro didático, a professora havia pedido na aula anterior que eles tirassem xérox da Tabela. Para que a estudassem. Como alguns não a obedeceram ela teve que dar uma aula revisando o que havia dado na aula anterior. Cirlene tem uma boa metodologia e gosta do que faz, isto se percebe ao vê-la lecionando.
A turma é quieta, mas as conversas paralelas ainda ocorrem.
Os alunos são participativos. Quando ela faz as perguntas eles procuram responder e acompanham a aula, fazendo relações com as aulas passadas.
Aula muito boa. Até o que eu havia esquecido sobre Tabela Periódica, lembrei através da aula.
Foi passada um exercício oral em que muitos participaram.
Como não deixaria de ser diferente às 15:25, os alunos começaram a ficar agitados, pois a aula estava terminando. Enquanto isto, a professora ia tirando as dúvidas de alguns poucos alunos.
Fim de aula às 15:30.
/////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
Observação feita na sétima A:
Das salas em que fui, esta era a primeira que possuía porta.
Não foi propriamente uma aula, pois neste dia era a correção daavaliação de Ciências, que tinha como assuntos: Células, Tecidos e Organismos.
A professora deu uma bronca na turminha, porque a avliação tava fácil(pior que era verdade) e choveram notas baixas. Enquanto , ela corrigia percebia-se que alguns participavam da correção e outros faziam brincadeiras.
Alguns alunos faltaram à avaliação. A professora verá uma maneira de não prejudicá-los. Ela falou que se houvesse coleguismo, os alunos que fizeram o teste poderiam ter avisado a quem não o fez. Um dos que faltou, chegou a dizer que não o disseram porque os colegas não gostam dele.
Eles tem uma outra avaliação que será realizada no dia 24 pra fechar a Unidade.
Amei a turminha da sétima A. Já me decidi é ela que irei observar.

Primeira observação feita na Escola Nogueira Passos.

A Escola em que estou realizando minhas observações, Nogueira Passos, fica localizada na Rua das Rosas, s/número, no bairro da Pituba.
É uma instituição de Ensino Fundamental, ou seja, compreende as séries da quinta à oitava. Esta Escola tem como ponto forte as oficinas realizadas aos sábados, que foi idealizada e está sendo coordenada pela docente Cirlene Maria Vilas Boas Cunha. Ela é professora da sétima A e das oitavas A, B e C do turno Vespertino. E devido a tanta dedicação resolvi observar suas aulas. Contudo, em uma das visitas que realizei acabei por conhecer uma das turmas mais bagunceiras de lá: a quinta série, turma E.
Assim, que cheguei ao Nogueira Passos, resolvi procurar pela professora Cirlene, uma vez que já havia adquirido boas referências a seu respeito. Fui muito bem recebida por todos dos docentes até a diretora. Como no momento em que cheguei Cirlene iria dar aula de Religião(isto mesmo ela também tem Religião como disciplina!), decidi dar uma olhada na aula de Ciências de uma turma de quinta série, ministrada pela professora Maria Luiza. Pense em uma turma que é inquieta. Então, pois bem esta é a quinta E. Os alunos costumam ter uma vontade extrema de querer ir beber água ou ir ao banheiro...não paravam quietos. Agrediam-se uns aos outros...um caos completo!
Bem,em relação a atividade do dia que a professora pensou em pôr em prática,foi um debate, que consistia em dividir a turma em duas metades:de um lado o time do Brasil e do outro o time da Alemanha(o tema Copa deixou os alunos com os nervos à flor da pele. Era uma verdadeira competição!). Que tinha como prêmio uma caixa de chocolate pra o time que ganhasse.
Às 14:10, ela mandou que os alunos fizessem a leitura das páginas 37 a 41, referentes ao Capítulo que contém Relações entre seres vivos.
Prosseguindo com a explicação no diz respeito às regras e normas do debate, a professora sorteava um aluno de cada equipe ou time, por assim dizer, para que respondesse às perguntas do capítulo que tratava sobre As relações entre os Seres Vivos. Se algum dos alunos sorteados não soubesse a resposta, poderia ter a chance de ganhar o ponto,caso 1 pessoa da mesma equipe respondesse corretamente. Se errasse, passava a chance de acerto pro time adversário. Havia também, a seguinte punição: pescou as respostas no livro, perdi ponto.
Então, passada meia hora de leitura(quase) silenciosa, a sabatina começou.
Contei que na turma haviam 23alunos e que uma das alunas estava filando aula. Quando voltou pegou a atividade já iniciada.
O time do Brasil estava ganhando. Ao sortear um aluno de nome Iago(time da Alemanha ele foi prontamente dizendo que não saberia responder à pergunta. Pra não desestimulá-lo,a professora insistiu que ele era capaz sim de responder. E ao fazer a pergunta, ela explicou um pouco do que seria a resposta e isto favoreceu com que ele respondesse ao questionamento da professora. Várias vezes ela não permitiu que os alunos desistissem de responder por não se acharem capazes.
Sei que em um determinado momento a sala virou um mini ringue de boxe com os alunos levantando pra baterem uns nos por que estavam a se provocar. Mas o auge da balburdia foi quando um dos alunos estava pescando a resposta pelo livro e a professora percebeu. Eta, minha nossa! Quando a professora tirou ponto do time do Brasil porque havia pescado a confusão foi instalada. A professora quase sumiu na frente do quadro. Mas como a equipe do Brasil tava ganhando não fez muita diferença, porque os alunos que acertaram a maioria das perguntas vinham do time do Brasil, inclusive a última pergunta que a professora fez. A caixa de chocolate foi pra eles.
Didática boa pra se fazer em sala de aula. Gostei!

Saturday, April 01, 2006

LEGISLAÇÃO E OBSERVAÇÕES!

De acordo com o artigo 32 da Lei n.º 9.394/96 , da LDB, o professor do Ensino Fundamental tem como um dos seus objetivos n0 que se refere à formação básica de seus alunos: o desenvolvimento da capacidade de aprender, tendo como meios básicos o pleno domínio da leitura, da escrita e do cálculo. Mas o que podemos notar são muitos alunos frequentando o Ensino Fundamental, sem ao menos saber fazer uma conta de dividir! Esses programas de aprovação do governo pra indicar que o nível de aprovação dos alunos nas Escolas Públicas, é o causador-mór desta vergonheira!
Bom,tratando ainda sobre o artigo 32, no que se refere ao Ensino Fundamental, todo e qualquer educador, não somente o de Ciências Naturais, deve propiciar aos educandos uma compreensão do ambiente natural e social, do sistema político, da tecnologia, das artes e dos valores em que se fundamenta a sociedade. O que não é uma realidade em nossas salas de aula,uma vez que o que podemos presenciar(na maioria delas) é um ensino desprovido de outra ferramenta de trabalho a não ser o livro didático. Isto deve-se em maior parte à deficiente preparação dos professores. Muitas vezes nem fica interessante para o aluno estudar Ciências ou qualquer outra disciplina, pela forma como esta lhe é passada. O docente deve contribuir com o desenvolvimento da capacidade de aprendizagem, tendo em vista a aquisição de conhecimentos e habilidades e a formação de atitudes e valores destes.

Lei de Diretrizes e Bases da Educação – LDB/Lei n.º 9.394/96

Seção III - Do Ensino Fundamental
Art. 32. O ensino fundamental, com duração mínima de oito anos, obrigatório e gratuito na escola pública, terá por objetivo a formação básica do cidadão, mediante:
I - o desenvolvimento da capacidade de aprender, tendo como meios básicos o pleno domínio da leitura, da escrita e do cálculo; II - a compreensão do ambiente natural e social, do sistema político, da tecnologia, das artes e dos valores em que se fundamenta a sociedade; III - o desenvolvimento da capacidade de aprendizagem, tendo em vista a aquisição de conhecimentos e habilidades e a formação de atitudes e valores; IV - o fortalecimento dos vínculos de família, dos laços de solidariedade humana e de tolerância recíproca em que se assenta a vida social.
§ 1º É facultado aos sistemas de ensino desdobrar o ensino fundamental em ciclos.
§ 2º Os estabelecimentos que utilizam progressão regular por série podem adotar no ensino fundamental o regime de progressão continuada, sem prejuízo da avaliação do processo de ensino-aprendizagem, observadas as normas do respectivo sistema de ensino.
§ 3º O ensino fundamental regular será ministrado em língua portuguesa, assegurada às comunidades indígenas a utilização de suas línguas maternas e processos próprios de aprendizagem.
§ 4º O ensino fundamental será presencial, sendo o ensino a distância utilizado como complementação da aprendizagem ou em situações emergenciais.
Art. 33. O ensino religioso, de matrícula facultativa, constitui disciplina dos horários normais das escolas públicas de ensino fundamental, sendo oferecido, sem ônus para os cofres públicos, de acordo com as preferências manifestadas pelos alunos ou por seus responsáveis, em caráter:
Alterado por - Lei nº 9.475, de 22 de julho de 1997
I - confessional, de acordo com a opção religiosa do aluno ou do seu responsável, ministrado por professores ou orientadores religiosos preparados e credenciados pelas respectivas igrejas ou entidades religiosas; ou II - interconfessional, resultante de acordo entre as diversas entidades religiosas, que se responsabilizarão pela elaboração do respectivo programa.
Art. 34. A jornada escolar no ensino fundamental incluirá pelo menos quatro horas de trabalho efetivo em sala de aula, sendo progressivamente ampliado o período de permanência na escola.
§ 1º São ressalvados os casos do ensino noturno e das formas alternativas de organização autorizadas nesta Lei.
§ 2º O ensino fundamental será ministrado progressivamente em tempo integral, a critério dos sistemas de ensino.

Tuesday, March 28, 2006

Aula do dia 28/03

Nesta aula, fomos até o Auditório 1, assistir à palestra sobre Software Livre.Após a palestra fomos até o laboratório, onde os componentes de cada grupo se reuniram no laboratório a fim de elaborarem um texto com o seguinte tema: A formação de professores de Ciências e o Ensino de Ciências. Está temática utilizará documentos como a:LDB(o grupo do qual faço parte),PCN e CNE. Então, no dia 04/04, este trabalho deverá estar publicado no blog, com o intuito de ser apresentado no mesmo dia de aula,sendo em sua primeira metade.

Interessante!

"As discussões sobre o ensino de Ciências na ultima década tem evidenciado uma forte preocupação dos educadores com os propósitos das disciplinas cientificas no ensino do primeiro e segundo graus. Parece haver uma insatisfação com os resultados obtidos ou uma incompatibilidade de pretensões. De um lado vemos a escola tradicional formando indivíduos mais aptos a aceitar regras e valores do que questionar e criar novas regras e novos valores; de outro temos uma Sociedade que impulsiona o rápido desenvolvimento científico e tecnológico, demandando transformações de hábitos e, até éticas e morais. Nas escolas a Ciência é transmitida como una, sem dissenções, sem divergências, sem competições internas, sem disputa - uma instituição capaz de alcançar "a verdade", singular, segura; fora das escolas as "verdades", plurais se contrapõem, há controvérsias, há valores que representam parcelas sociais (econômicas, culturais, raciais e políticas) distintas. Durante o ensino, o estudante é solicitado a identificar o que é certo (a distinguir o "correto" do "errado", o "bem" do "mal"); em outras situações ele se depara com várias versões que podem ser apresentadas como corretas, de acordo com diferentes pontos de vista ou valores"...
"Se acreditarmos que a escola de um modo geral e o ensino de Ciências de uma forma particular podem de alguma maneira,, contribuir para o processo de aquisição e construção de conhecimento pelos estudantes, e assim, pela população, devemos considerar que o ensino de Ciências deveria sofrer alterações que incluem não apenas inovações de conteúdo, mas também o desenvolvimento de atitudes e valores e a preparação para a tomada de decisões. Pretende-se que o ensino de Ciências alcance objetivos tais como pensamento crítico e de alto nível, habilidades cognitivas de categoria elevada, solução de problemas e capacidade de tomar decisões, próprias do pleno exercício da cidadania. Assim, delega-se ao ensino de Ciências a função de desenvolver a racionalidade e a capacitar nossos futuros cidadãos a terem, portanto, uma participação ativa, significativa no processo democrático de tomada de decisão; para isso todos os cidadãos deverão compreender as interações entre Ciência, Tecnologia e Sociedade, bem como ter habilidade para avaliar inteligentemente as atividades tecnológicas e científicas no contexto moderno. Em outras palavras, o ensino de Ciências deverá desenvolver a capacidade dos estudantes de "resolver problemas"e "tomar decisões" relativas a CTS (Ciência/Tecnologia/Sociedade) e às demais situações com as quais se enfrentarão como cidadãos"...

Bibliografia:

TRIVELATO, S.L.F. Ensino de ciências e movimento CTS (ciência tecnologia e sociedade) Escola de verão de prática de ensino. Serra Negra/São Paulo, Faculdade de Educação -USP,págs 122 e 124.

Sunday, March 26, 2006

O que é necessário pra ser um bom professor?

-Boa apresentação pessoal;
-Domínio do conteúdo/conhecimento;
-Relação interpessoal;
-Amor/Respeito;
-Perseverança/Iniciativa/Responsabilidade/Desprendimento;
-Didática;
-Organização;
-Sensibilidade;
-Adaptação ao meio;
-Espontaneidade;
-Dinamismo;
-Criatividade;
-Diplomacia;
-Atualizado;
- Saber "passar o conteúdo";
-Reflexão;
-Não ser permissivo;
-Ensino-aprendizado;
-Empatia;
-Conselheiro;
-Orientador;
-Possuir alunos interessados;
-Competência;
-Ambiente de trabalho;
-Despertador;
-Ter Ética;


Aula do dia 23/03

Percepções sobre o Ensino de Ciências:

28/03: Legislação.
30/03: Observação.
04/04: Relato da observação
Encaminhamento das atividades.
Currículo.

Pesquisar sobre Legislação:
-LDB;
-CNE;
-PCN's(não é obrigatório,mas é necessário pesquisar).

////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

Questões:

1- Problemas do Ensino de Ciências e fatores que influenciam negativamente.
2-Condições de melhoria.

A partir destes dois tópicos, criar um artigo coletivamente. Pode utilizar como fonte, o livro da autora Myriam Krasilchik: O professor e o currículo das Ciências.

Uma experiência nada agradável....

Ao conhecer um pouco mais o universo do curso de Ciências Naturais, pude perceber que licenciatura, não era "a minha". Parti pra fazer Vagas Residuais a uns semestre atrás...Estudei muito, dei tudo de mim e passei no segundo lugar das 32 vagas destinadas!Fiquei muito feliz!!!!!!!Fui entregar no SGC, toda a documentação necessária pra minha futura matrícula.Até aí,tudo lindo!Isto foi em novembro.O período de matrícula seria em março.Ocorreu-me de ir no SGC,em fevereiro, pra saber as quantas iam minhas documentações.Foi então, que de maneira fria e desprovida de qualquer humanidade que um senhor de lá, me disse que eu havia perdido minha vaga, porque não estava cumprido as normas do Edital.Fiquei arrasada,porque as duas não faziam diferença alguma em Veterinária e uma delas um dia foi cogitada de ser extinta do curso de Ciências.Sofri muito e até pensei de nunca mais poder me reeguer novamente, mas felizmente tive apoio das pessoas que realmente gostam de mim(minha mãe,meu tudo!). Foi o que deu o empurrãozinho pra eu prosseguir e estar com vocês aqui hoje...


Aretha: baiana de coração e soteropolitana com muito amor!

Estudante do curso de Ciências Naturais, desejando alçar vôos mais altos!

Canceriana de riso fácil,extrovertida,divertida(é o que dizem as pessoas que me conhecem realmente) e que adora fazer amizades!Apaixonada por animais e que vira bicho com as atrocidades cometidas com os mesmos.

Autobiografia não é fácil de ser feita!Então, deixo a critério dos que não conhecem tirarem suas próprias conclusões!

"Se Jesus Cristo não agradou a todos,quem eu sou pra agradar!'